Parque Nacional da Serra do Cipó

Preparamos um guia com tudo o que você precisa saber sobre o Parque Nacional da Serra do Cipó (PARNA CIPO)

Conhecido como “Os Jardins do Brasil” o Parque Nacional da Serra do Cipó guarda tesouros e belezas naturais de valor inestimável.

Com a missão de definir o destino de toda essa exuberância, em setembro de 1984, foi criado nos municípios de Jaboticatubas, Santana do Riacho, Morro do Pilar e Itambé do Mato Dentro o

A unidade do PARNA CIPÓ protege hoje diversas espécies da flora e da fauna brasileiras ameaçadas de extinção, ambientes únicos e paisagens que enchem dos olhos daqueles que testemunham suas belezas.

O título de “Jardim do Brasil” dado pelo paisagista Burle Marx à Serra do Cipó, em 1950, faz jus a um dos conjuntos naturais mais exuberantes do planeta. A região encanta há séculos viajantes, naturalistas, os atuais turistas e seus moradores, que a redescobrem cotidianamente e tomam consciência de sua singularidade.

A topografia acidentada do Parque Nacional da Serra do Cipo e a grande quantidade de nascentes formam diversos rios, cachoeiras, cânions e cavernas de excepcional beleza natural. Com altitudes que variam entre 700 e 1.670 metros de altitude, a Serra do Cipó localiza-se na porção sul da Serra do Espinhaço, importante divisor de duas grandes bacias hidrográficas brasileiras: a do São Francisco e a do Rio Doce.

Opções de banho em cachoeiras e piscinas naturais de águas cristalinas são umas das atrações do Parque Nacional da Serra do Cipó, em Minas Gerais.

Parque Nacional da Serra do Cipó, com uma área total de 33.800 hectares, com o principal objetivo de preservar toda esta riqueza natural.

 

 

Na Serra do Cipó há trilhas nas quais é possível observar a grande diversidade da flora e da fauna, além de curiosas rochas pontiagudas presentes em toda a área. Você pode visitar o Parque Nacional da Serra do Cipó com sua Família.

A área total do Parque Nacional da Serra do Cipó é de 33.800 hectares (338 quilômetros quadrados) e perímetro de 119.978,5 m. A Unidade de Conservação abrange parte dos municípios de Jaboticatubas, Santana do Riacho, Morro do Pilar e Itambé do Mato Dentro, limitando-se ainda com Itabira, Nova União e Taquaraçu de Minas. As duas principais atrações do parque são o Cânion da Bandeirinha (“Desfiladeiro”), a doze quilômetros da sede, e a Cachoeira do Sobrado (“da Farofa”), a oito quilômetros da sede, ambos balneáveis, ou seja, o banho é permitido. Outros atrativos estão abertos à visitação, apesar de ainda estarem em fase de estruturação, como as cachoeiras do Sobrado de Cima, Andorinhas, Gavião, Congonhas, Tombador e Travessão – divisor de águas de onde se avista o desfiladeiro do Rio do Peixe. Por serem atrativos de difícil acesso e ainda com sinalização insuficiente recomenda-se a contratação de um condutor local. Existem também os campos rupestres e campos de altitude, no alto da Serra do Cipó, em paisagens amplas e impressionantes, repletas de flores em várias épocas.

Descoberta na época dos bandeirantes, a Serra do Cipó, que já foi conhecida como Serra da Lapa e Serra da Vacaria, foi um dos itinerários utilizados por estes desbravadores em busca de riquezas minerais. Sua beleza natural exuberante, divisor de águas das bacias hidrográficas dos rios São Francisco e Doce, sempre despertou interesse e fascinação de quem passa pela região. Para resguardar essa diversidade natural da Serra, foi criado em 1984 o Parque Nacional da Serra do Cipó . Atualmente administrado pelo IBAMA – Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, o parque ocupa uma área de aproximadamente 330 quilômetros quadrados. Seu objetivo é a proteção da fauna e da flora da Serra do Cipó, das bacias de captação do rio Cipó, afluente do rio das Velhas, e a preservação das belezas cênicas da região. Como complemento para a proteção do seu ecossistema, o Governo Federal delimitou uma área de proteção ambiental – APA Morro da Pedreira, constituída por um cinturão verde de 600 quilômetros quadrados que circunda o Parque Nacional.

A região do Parque Nacional da Serra do Cipó é formada por vários rios, cachoeiras e campos, de relevo acidentado e altitudes que variam entre 650 e 1.800 metros, além de um clima tropical, com quatro a cinco meses secos por ano. Sua vegetação rica em biodiversidade apresenta-se em cinco tipos: campos rupestres, campos de altitude, cerrados, vegetação de baixadas úmidas (lagoas e matas de galeria) e mata atlântica.

A multiplicidade de espécies vegetais é tão grande que a região encontra-se permanentemente florida durante todas as estações do ano. Segundo os botânicos, as 1.600 espécies já catalogadas não devem representar nem a metade do que deve existir no local. Com a criação do Parque, uma das várias espécies endêmicas foi protegida, a canela-de-ema (Vellozia piresiana), sobre a qual cresce um raro e exótico tipo de orquídea, aConstantia cipoensis.

Tanta variedade e harmonia entre pedras, plantas e flores rendeu ao Cipó o título de “Jardim do Brasil”, dado pelo renomado paisagista Burle Marx na década de 50.

O Parque Nacional Serra do Cipó reconhecido pelas suas inúmeras cachoeiras, entre elas a da Farofa, com mais de 70 metros de queda livre; canyons, como o das Bandeirinhas, além de paredões para a prática de alpinismo, sem falar nas cavernas e trilhas próprias para os amantes de “mountain bike” e caminhada. No que diz respeito a fauna da região, o território do Parque conta com dezenas espécies de mamíferos, anfíbios e aves. Vale ressaltar o beija-flor-de-gravata-verde (Augastes scutatus) e o pássaro Cipó canasteros, ambos animais próprios da região. O Parque Nacional Serra do Cipó foi e é o principal motivador da criação do Circuito Turístico homônimo, pois sempre personificou o elo integrador entre os municípios da região.