Geografia
29 de julho de 2018
Geo Politica
29 de julho de 2018

Hidrografia da Serra do Cipó

Os rios e cursos d’água pertencentes à Serra do Cipó se dividem em duas bacias hidrográficas: a bacia do Rio São Francisco e a do Rio Doce.

Bacia do Rio São Francisco

Na vertente oeste e sudoeste da Serra do Cipó, os cursos d’água drenam para o Rio Cipó, pertencendo a Bacia do Rio São Francisco.O Rio Cipó é formado pelo encontro dos córregos Mascates e Bocaina, dentro do Parque Nacional. Seu trecho inicial é meandrante, cortando a Vargem Grande e a Vargem das Areias. O rio segue mais ou menos paralelamente à Serra do Cipó até sua foz, em região rica em paredões e pequenas grutas.

Existem planícies nas baixadas do Rio Ci­pó e de seus ribeirões formadores, com la­goas ori­gi­nadas de meandros antigos e re­centes. E a maior concentração de lagoas naturais na região se encontra na Vargem das Areias, várzea de inundação anual Rio Cipó.No interior do Parque Nacional se encontram outras lagoas perenes: Lagoa da Capivara, Lagoa Rasgada, Lagoa da Pedra, Lagoa do Boi, Lagoa Verde, e a maior de todas, a Lagoa Comprida, com cerca de 480 metros de comprimento. Várias dessas lagoas abrigam o jacaré-de-papo-amarelo.

Entre os córregos perenes que nascem na serra e alimentam o Rio Ci­pó em sua margem direita contam-se, como principais: Vaca­ria ou Soberbo, Parauninha, Riachinho e Rio de Pedras. E os que também nascem na Serra e alimentam a margem esquerda do Rio Cipó cita-se o da Serra ou Gordurinha (no limite oeste do Parque) e Zé Coelho (ou dos Coelhos).

Bacia do Rio Doce

Na vertente sudoeste e leste da Serra do Cipó, os cursos-d’água pertencem à bacia do Rio Doce. Estes, estão integralmente situados em região de rochas vulcânicas, exceto na própria Serra, na qual domina o quartzito. No extremo norte do Parque, a drenagem é comandada pelo Rio Preto, afluente da margem esquerda do Rio Santo Antônio, este tributário do Rio Doce por sua margem esquerda. Na região central do Parque, a vertente leste da serra é comandada pelos formadores do Rio Preto do Itambé, também afluente da margem esquerda do Rio Santo Antônio.

Da região central do Parque até sua região leste-sudeste-sul, as águas dessa vertente da serra contribuem para o Rio Tanque, afluente da margem direita do Rio Santo Antônio.O Rio do Peixe, afluente esquerdo do Rio Preto do Itambé, tem grande relevância para o Parque Nacional, por passar por um dos seus atrativos mais pitorescos, denominado “Travessão”, que é passo de montanha a 1.000 metros de altitude, divisor das duas grandes bacias hidrográficas estaduais.

Fonte: Celso do Lago Paiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *